Bahiadoc acompanha a desocupação da Torre David, em Caracas

Do blog arte_documento:

Por Fabricio Ramos

Eu e Mel acompanhamos, em Caracas, o processo de desocupação da famosa Torre David. A Torre, que inicialmente seria um centro financeiro de arquitetura ostensiva, foi abandonada já em avançado estado de construção em meados dos anos 1990. Nos anos 2000, famílias de Caracas em busca de moradia ocuparam a Torre, que mede cerca de 170m e tem mais de 40 andares, desafiando os riscos das estruturas inacabadas e subvertendo a função arquitetônica do prédio e a lógica urbanística da região, umas das mais centrais de Caracas. A desocupação, implementada pelo Governo da Venezuela e integrando o extenso programa governamental para moradia “Gran Misión Viviendas”, foi conduzida com eficácia e tranquilidade pelo Ministro de Estado para la Transformación Revolucionária de la Gran Caracas, Ernesto Villegas, e acompanhada pelo escritor Tariq Ali. O vídeo é um breve registro de nossa presença na Torre durante a desocupação.

A Torre

Torre David, emblema dos contextos mais dramáticos e complexos das metrópoles latinoamericanas: favela vertical, foco comunitário de resistência, símbolo de luta pelo direito à moradia, tema de trabalho ganhador da Bienal de Veneza e objeto de ensaios fotográficos da New York Magazine.

Torre_David
Torre David (foto: fabricio ramos)

A torre que seria a própria ostentação arquitetônica do triunfo financeiro capitalista se converteu em um emblema da (des)ordem: o que era ainda construção já parecia ruína.

Em meados da década de 1990, a construção da torre, que seria um centro financeiro, foi paralisada por conta de uma crise financeira. Deteriorando-se durante anos no centro de Caracas, a torre foi ocupada nos anos 2000 por famílias em luta pelo direito à moradia. As famílias desafiavam os riscos das estruturas inacabadas ao mesmo tempo em que subvertiam a função arquitetônica do prédio e a lógica urbanística da região, umas das mais centrais de Caracas. Abandono e decadência, ressignificação e ocupação, novas dinâmicas de organização à revelia de qualquer institucionalidade: ali, na Torre ocupada, pouco importava se a economia comandava o estado ou se o estado se debatia para regular a economia – valia o dinamismo cotidiano que, em meio às adversidades estruturais do lugar, reiventavam a geografia e a política.

Captura de Tela 2014-07-24 às 17.36.09
Torre David (foto: fabricio ramos)

O prédio inacabado se converteu em lar para milhares de pessoas, ou, na visão conservadora típica das classes dominantes, em zona de medo e degredo e em foco de criminalidade. Factualmente, a Torre David é emblema das contradições extremas de nossos tempos: construção que já é ruína, sofisticado centro financeiro que é favela.

A desocupação

Em 24 de julho de 2014, eu (Fabricio) e Mel estivemos na Torre David para acompanhar o processo de desocupação: fomos recebido por uma mulher encarregada de orientar a imprensa, nos identificamos como “mídia independente”, e fomos credenciados, eu e Mel, como imprensa, autorizados a percorrer todo o prédio, falar livremente com as pessoas, gravar vídeos e tirar fotos sem qualquer reserva, tendo sido passadas algumas orientações de segurança. Uma abertura e facilitação que não vi no Brasil, em situações menos significativas.

Momentos depois, um homem conversava com moradores da torre e com a imprensa. Ao nos aproximarmos, ele nos ofereceu um café que uma moradora estava vendendo. Aceitamos e quando quis pagar pelo café, ele pediu para que eu não me preocupasse. O homem, só pouco depois viríamos a saber, era Ernesto Villegas, Ministro de Estado da Venezuela, para “La Transformación Revolicionaria de la Gran Caracas”. Villegas conduzia pessoalmente todo o processo de desocupação. Ao lado do Ministro, estava o escritor Tariq Ali.

Captura de Tela 2014-07-24 às 17.38.51
Meninos moradores da Torre David (foto: fabricio ramos)

Em julho de 2014, O Governo iniciou a operação Zamora, que consiste na transferência consensuada dos moradores da Torre David para outra região, através do programa habitacional Gran Misión Vivienda, implementado pelo Governo Bolivariano da Venezuela. A operação de transferência ocorria com organização e logística que me impressionaram, em clima de plena tranquilidade. Soldados da Guarda Bolivariana (desarmados) auxiliavam os moradores e carregavam toda a mobília.

Captura de Tela 2014-07-24 às 18.20.04
Torre David (foto: Fabricio Ramos)

Subimos, junto com o Ministro Villegas e alguns jornalistas, até o último andar habitado da torre, o 28. O Governo lacrou o andar, e à medida que os andares abaixo sejam desocupados, serão também lacrados para evitar novas ocupações.
O breve contato que mantive com as pessoas que moravam ali não me trouxeram novidades, pois seus dramas não são muito diferentes daqueles vividos por tantos no Brasil, na Bahia, em Salvador, perto de mim, portanto… O que me marcou ali foi a forma de conduta do Governo que promoveu a desocupação, com o ministro de estado à frente, apresentando-se às pessoas, convencendo-as pessoalmente a se cadastrar para a mudança. Não faço com isso nenhuma defesa de Governo, mas é inevitável que eu me lembre do Brasil e lamente, inclusive, o que se diz sobre a Venezuela na mídia corporativa brasileira. Sobre as complexas nuanças políticas e outras impressões acerca da Venezuela, é tema para outro texto, quiçá.

Por Fabricio Ramos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s