A Mostra Cine Odé – Cinema no Terreiro apresenta suas últimas sessões: dias 2 e 3 de JULHO

# ATENÇÃO

Devido a problemas técnicos, o número do celular para contato com o Cine Odé e informações sobre a Van mudou. Passou a ser: (73) 98233-0022.

Captura de Tela 2016-02-12 às 13.57.38A última edição do Cine Odé – Cinema no Terreiro, que seria em junho, será no início de julho: dias 2 e 3 de julho (sábado e domingo, respectivamente), sempre às 17h.

A Mostra acontece no Terreiro de Odé em Ilhéus/Ba. Fundado por Pai Pedro Faria em 1942, o terreiro fica no Bairro Alto do Basílio. O Cine Odé, que começou em janeiro e se encerra nesta última sessão, tem a  proposta de tornar o Terreiro de Odé um espaço cultural voltado para o cinema, promovendo sessões mensais gratuitas que estimulam a valorização e o conhecimento das culturas religiosas brasileiras de matrizes africanas e indígenas. Os realizadores e curadores da mostra são Fabrício Ramos e Camele Queiroz, cineastas independentes baianos que escolheram exibir uma ampla e diversificada cinematografia baiana e brasileira, que inclui desde filmes consagrados até realizações independentes descobertas na internet.

FILMES DE JULHO

Sábado, dia 2, às 17h:

“AS CRUZES E OS CREDOS” (29min, 2014)

Captura de Tela 2016-06-16 às 12.48.30No sábado, dia 2 de julho, será exibido especialmente o filme “As Cruzes e os Credos“, dirigido por Fabricio Ramos e Camele Queiroz, realizadores do Cine Odé. O curta, gravado em boa parte no próprio Terreiro de Odé, parte de duas mortes para revelar um encontro inesperado com a vida, através do sagrado, do mistério e da Fé. Um DVD do filme será sorteado entre os presentes na sessão. “As Cruzes e os Credos” participou de festivais de cinema na Colômbia, na Bolívia, na Argentina e, na Bahia, participou do V FECIBA – Quinto Festival de Cinema Baiano, em 2015. Saiba mais sobre o filme no site do curta: clique aqui.

“EXU ALÉM DO BEM E DO MAL” (23min, 2013)

Captura de Tela 2016-05-14 às 11.36.43Antes da exibição de As Cruzes e os Credos, no mesmo sábado (dia 2), será exibido o curta “Exu Além do Bem e do Mal“, dirigido por Werner Salles Bagetti. O filme realiza uma imersão poética no tema Exu, um dos Orixás mais controversos. A câmera passeia pela cidade e captura silêncios, semblantes e vazios, antes de mergulhar no transe dos terreiros de Candomblé, Umbanda e Jurema Sagrada em celebração a Exu. Em paralelo, um discurso polifônico é construído com as vozes de especialistas do tema, em Alagoas e Pernambuco. Entre os entrevistados estão os babalorixás Manoel Papai, Pai Célio de Iemanjá, Pai Manoel do Xoroquê e o antropólogo pernambucano Roberto Motta. O projeto do filme foi contemplado no 2º Edital de Fomento à Produção Audiovisual de Alagoas em 2012.

Legba, Bará, Eleguá, Tranca-rua, diabo, capeta… Exu é um dos orixás mais controversos da cultura afro. Interpretado muitas vezes como o diabo pelo catolicismo é constantemente associado ao mal em diversas leituras, até mesmo por alguns autores umbandistas do passado. Porém, o significado do mito Exu, tanto para a Umbanda, quanto para o Candomblé, vai muito além de tudo isso.

No Candomblé Exu é a figura mais humana dos orixás, senhor do princípio e da transformação. Exu é a ordem, aquele que se multiplica e se transforma na unidade elementar da existência humana. Exu não é totalmente bom, nem totalmente mau, assim como o homem: um ser capaz de amar e odiar, unir e separar, promover a paz e a guerra. Sem ele os Orixás e humanos não podem se comunicar, pois Exu faz o papel de mensageiro com cada um dos demais orixás.

Domingo, dia 3, às 17h

“DANÇA DAS CABAÇAS – EXU NO BRASIL” (54min, 2008)

Captura de Tela 2016-06-16 às 13.28.27Dirigido por Kiko Dinucci, o filme passa pelas diversas vertentes das religiões afro-descendentes, dos candomblés (de tradição Nagô, Gege, Bantu), Tambor de Mina, passando pela Umbanda e Quimbanda. Dança das Cabaças-Exu no Brasil conta com participações de Sacerdotes e estudiosos.

Trazido pelos escravos com outros Deuses do panteão Yoruba, Exu foi colocado à margem e passou por um processo de demonização que se inicia na missão católica na África e se estende no período colonial brasileiro, onde seus atributos originais foram ocultados.

Exu que na África era caracterizado como o princípio da vida, a força que move os corpos, a dinâmica, o senhor dos caminhos e das encruzilhadas, a principal ponte entre os mortais e as divindades que habitam o além, passa a ser visto como a personificação do mal perante o modelo cristão, devido ao seu seu símbolo fálico e seu comportamento astucioso.

As Cruzes e os Credos” também será exibido no domingo.

IMPORTANTE LEMBRETE:

Devido a problemas técnicos, o número do celular para contato com o Cine Odé e informações sobre a Van mudou. Passou a ser: (73) 98233-0022.

Para facilitar o acesso ao Terreiro de Odé, local da Mostra, o Cine Odé oferece uma Van para levar e trazer os interessados até o ponto de ônibus próximo. Para informações, ligue (73) 98233-0022. A entrada é gratuita.

CONVIDADOS ESPECIAIS

No sábado, dia 2 de julho, dois convidados especiais estarão presentes na sessão: José Nazau e Lourival Piligra. José Nazal é Fotógrafo e profundo conhecedor da história religiosa de Ilhéus. Foi amigo pessoal do fundador do Terreiro de Odé, Pedro Faria – e esteve na sessão de fevereiro do Cine Odé, quando falou sobre o solo sagrado do Bairro do Basílio. Lourival Piligra é professor e pesquisador no campo da Filosofia, além de poeta e escritor.

Mãe Carmosina confirmou presença na sessão do dia 3 de julho

Captura de Tela 2016-06-28 às 20.24.19
Fabricio cumprimenta Mãe Carmosina (foto: Feciba)

Com mais de 90 anos dedicados ao trabalho espiritual, Mãe Carmosina é uma grande referência religiosa e cultural em Ilhéus e foi uma grande amiga de Pai Pedro, fundador do Terreiro de Odé. Ela nos dará a honra de sua presença na sessão de domingo, dia 3 de julho, no Terreiro de Odé, uma convidada mais do que especial. Na foto, Mãe Carmosina no Cine Santa Clara em 2015, quando foi exibido o curta “As Cruzes e os Credos”, de Fabricio Ramos e Camele Queiroz, pelo V FECIBA – Festival de Cinema Baiano. O filme compõe a programação de JULHO do Cine Odé e será exibido nos dois dias: sábado e domingo. (Fotos: FECIBA).

O Cine Odé – Cinema no Terreiro é uma realização do Bahiadoc – Arte Documento e teve apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, através do edital público de Agitação Cultural 2015 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

 

Anúncios

Um comentário em “A Mostra Cine Odé – Cinema no Terreiro apresenta suas últimas sessões: dias 2 e 3 de JULHO”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s