Blog

Encontro Virtual sobre “Quarto Camarim” na noite de 1 de junho (segunda-feira)

Encontro Virtual sobre “Quarto Camarim”.

QUARTO CAMARIM

No dia 1 de junho, às 19h30, os diretores de “Quarto Camarim” (2017), Camele Queiroz e Fabricio Ramos, vão conversar com o público no Encontro Virtual especial.

cropped-quarto-camarim.png Cena de “Quarto Camarim”, de Camele Queiroz e Fabricio Ramos, com Luma Kalil

O filme poderá ser assistido entre os dias 28 e 31 de maio, no site quartocamarim.com.br, colocando a senha “fiqueemcasa” (sem aspas).

Quarto Camarim” mostra a busca de uma sobrinha – a própria diretora – para reencontrar seu tio depois de 27 anos sem contato. Seu tio agora se chama Luma Kalil, é cabeleireira e vive em São Paulo. O próprio filme media o reencontro entre as duas mulheres, tecendo um drama familiar e social, através de um processo de incerteza, descoberta e desbravamento sobre a vida e sobre o cinema.

Em 2018, a Associação Brasileira de Críticos de Cinema – Abraccine, elegeu…

Ver o post original 301 mais palavras

Cine Cineasta de novembro apresenta as sete obras-primas de Andrei Tarkovski. Entre 9 e 27/11, no Circuito Saladerte

A cada mês, o Cinematógrafo Cine Cineasta elege um grande nome do cinema e promove uma breve mostra com suas obras: foi assim com Visconti, Fellini, Bergman, Buñuel, Kurosawa, Agnès Varda e Fassbinder. Em novembro, o nome é Andrei Tarkovski, que realizou sete longas metragens em sua trajetória, desde “A Infância de Ivan”, lançado em 1962, até “O Sacrifício”, de 1986. O Cine Cineasta exibe este mês, entre 9 e 27/11, as sete obras-primas de um dos maiores e mais importantes cineastas de todos os tempos!

Círculo Psicanalítico da Bahia exibe “Quarto Camarim” em sessão especial em Salvador, dia 25 de julho

A Convite do Núcleo de Cinema do Círculo Psicanalítico da Bahia, “Quarto Camarim” (2017, 101min.), filme de Camele Queiroz e Fabricio Ramos, terá exibição especial no dia 25 de julho (quinta), às 19h, com a presença dos diretores. A sede do Círculo fica na Av. Adhemar de Barros, 1156, Ed. Master Center, sala 101, Ondina. A entrada é franca, com vagas limitadas.

Informações: Tel: (71) 3245-6015.

QUARTO CAMARIM

Captura de Tela 2019-07-17 às 13.00.11

A Convite do Núcleo de Cinema do Círculo Psicanalítico da Bahia, “Quarto Camarim” (2017, 101min.), filme de Camele Queiroz e Fabricio Ramos, terá exibição especial no dia 25 de julho (quinta), às 19h, com a presença dos diretores. A sede do Círculo fica na Av. Adhemar de Barros, 1156, Ed. Master Center, sala 101, Ondina. A entrada é franca, com vagas limitadas.

Informações: Tel: (71) 3245-6015.

QUARTO CAMARIM

Quarto Camarim (2017) é o primeiro longa-metragem dos diretores Camele Queiroz e Fabricio Ramos. O filme, por meio de uma abordagem documental, mostra o reencontro, depois de vinte e sete anos, entre uma sobrinha, que é a própria diretora, e a sua tia, com quem não manteve nenhum contato desde a sua infância. Sua tia se chama Luma, é travesti, trabalha como cabeleireira e vive em São Paulo.

Leia críticas e notícias sobre o filme em: Folha de São Paulo (clique

Ver o post original 92 mais palavras

Curta metragem “Muros” será exibido no Al Janiah, em São Paulo, em 24 de maio

Muros (25min. 2015) será exibido no dia 24 de maio de 2018, às 19h30, no Al Jeniah, situado no bairro do Bixiga, em São Paulo. A sessão será seguida de debate com o fotógrafo Rogério Ferrari. Evento gratuito.

MUROS

Muros (25min. 2015) será exibido no dia 24 de maio de 2018, às 19h30, no Al Jeniah, situado no bairro do Bixiga, em São Paulo. A sessão será seguida de debate com o fotógrafo Rogério Ferrari. Evento gratuito.

MUROS 1

O filme, dirigido por Camele Queiroz e Fabricio Ramos, relaciona Brasil e Palestina enquanto acompanha um fotógrafo que percorre favelas de Salvador. Gravado no Nordeste de Amaralina e no Calabar, traz a participação de Rogério Ferrari, fotógrafo baiano que conviveu e fotografou o povo palestino em Gaza, na Cisjordânia e nos campos de refugiados do Líbano e Jordânia, além de povos em luta em diversas partes do mundo. Ferrari põe em questão a violência, a precariedade social, urbana e arquitetônica de favelas brasileiras que, segundo ele, lembram, nesses aspectos, os campos de refugiados palestinos em que ele esteve. O curta revela a resistência e a afirmação da vida em bairros estigmatizados…

Ver o post original 181 mais palavras