Curta metragem “Muros” será exibido no Al Janiah, em São Paulo, em 24 de maio

Muros (25min. 2015) será exibido no dia 24 de maio de 2018, às 19h30, no Al Jeniah, situado no bairro do Bixiga, em São Paulo. A sessão será seguida de debate com o fotógrafo Rogério Ferrari. Evento gratuito.

MUROS

Muros (25min. 2015) será exibido no dia 24 de maio de 2018, às 19h30, no Al Jeniah, situado no bairro do Bixiga, em São Paulo. A sessão será seguida de debate com o fotógrafo Rogério Ferrari. Evento gratuito.

MUROS 1

O filme, dirigido por Camele Queiroz e Fabricio Ramos, relaciona Brasil e Palestina enquanto acompanha um fotógrafo que percorre favelas de Salvador. Gravado no Nordeste de Amaralina e no Calabar, traz a participação de Rogério Ferrari, fotógrafo baiano que conviveu e fotografou o povo palestino em Gaza, na Cisjordânia e nos campos de refugiados do Líbano e Jordânia, além de povos em luta em diversas partes do mundo. Ferrari põe em questão a violência, a precariedade social, urbana e arquitetônica de favelas brasileiras que, segundo ele, lembram, nesses aspectos, os campos de refugiados palestinos em que ele esteve. O curta revela a resistência e a afirmação da vida em bairros estigmatizados…

Ver o post original 181 mais palavras

Anúncios

Cine Cineasta de maio apresenta três obras de Ingmar Bergman

O Cinematógrafo – Cine Cineasta apresenta um breve panorama da obra de um dos mais famosos cineastas da história. Este mês, as sessões serão na Saladearte – Cinema do Museu (na Vitória), nas manhãs de sábado (18) e domingo (19), ambas as sessões às 10h, e no dia 22 (quarta), as 19h.

O Cine Cineasta apresenta um breve panorama da obra de um dos mais famosos cineastas da história. Este mês, as sessões serão na Saladearte – Cinema do Museu (na Vitória), nas manhãs de sábado (18) e domingo (19), ambas as sessões às 10h, e no dia 22 (quarta), as 19h.

g3446

A vasta filmografia de Ingmar Bergman que, realizada ao longo de sete décadas, vai desde o pioneiro Crise, de 1945, até o derradeiro Saraband, de 2003. Em seus filmes, o diretor sueco apreciava temáticas religiosas ou existenciais, por assim dizer, e das relações humanas, que se expressavam na forma de dúvidas em relação a Deus, as recordações da infância, as dificuldades de relacionamento, a impossibilidade de comunicação e os problemas entre os artistas e a sociedade.

Em maio, o Cinematógrafo – Cine Cineasta apresenta três filmes do célebre diretor sueco, sem dúvida um dos mais discutidos cineastas do…

Ver o post original 617 mais palavras

Agende-se para os encontros do Cinematógrafo de maio, para todas as idades

Tem Mary Poppins, Kiriku, Bergman e Jim Jarmusch.

Agende-se para os encontros Cinematógrafo de Maio, na Saladearte – Cinema do Museu, que fica no Corredor da Vitória:

IMG-20190428-WA0036O CINEMATOGRAFINHO MATINÊ de maio, dia 5/5 (domingo), às 10h30, vai trazer para os pequeninos um dos mais cativantes musicais de todos os tempos! “Mary Poppins” na versão remasterizada e dublada em português! Baseado numa série de livros da autora australiana Pamela Lyndon Travers, “Mary Poppins” foi lançado em 1964 e se tornou um marco no cinema de entretenimento e na história dos Estúdios Disney. Apesar de não ter sido o primeiro filme trazer atores contracenando com desenhos animados foi o que mais exigiu domínio dessa técnica e até a dedicação do próprio Walt Disney. O resultado é um filme encantador que figura como o 6º lugar entre “Os Maiores Musicais de Todos Os Tempos” e conferiu à jovem Julie Andrews um Oscar de melhor atriz.

g5972“Kiriku — Os Homens…

Ver o post original 443 mais palavras

“Quarto Camarim” está em cartaz na Saladearte – Cinema da UFBA até 10 de abril

Depois de vinte e sete anos sem contato, a diretora baiana Camele Queiroz reencontra sua tia Luma, que é travesti, trabalha como cabeleireira e vive em São Paulo. Dramas familiares e conflitos sobre aceitação são temas que aparecem em “Quarto Camarim”.

O filme permanece em cartaz até 10 de abril na Saladearte da UFBA, que oferece preços subsidiados para estudantes de Escolas e Universidades da rede pública.

Quarto Camarim

Depois de vinte e sete anos sem contato, a diretora baiana Camele Queiroz reencontra sua tia Luma, que é travesti, trabalha como cabeleireira e vive em São Paulo

“Quarto Camarim”, filme de Camele Queiroz de Fabricio Ramos, está em cartaz na Saladearte – Cinema da UFBA, com sessões diárias às 18h50.

Dramas familiares e conflitos sobre aceitação são temas que aparecem em “Quarto Camarim”. O filme mostra o processo de reaproximação entre a própria diretora e a sua tia, de quem ela não tinha notícias desde muito pequena: “eu me lembro do salão de meu tio Roniel”, diz a diretora, “que na verdade funcionava num quarto da casa de minha avó Aurora, em Feira de Santana”.

O seu “tio” da infância agora se chama Luma Kalil. Ela continua trabalhando como cabeleireira, mas também faz performances dublando canções de grandes estrelas e vive em São Paulo há vários anos, depois de…

Ver o post original 451 mais palavras

CinematograFinho agora tem também matinês aos domingos, com filmes dublados

O CinematograFinho, que acontece mensalmente nas tardes de sábado, lança – neste mês de abril – o CinematograFinho Matinê, com sessões mensais também na SALADEARTE – Cinema do Museu.

Enquanto o CinematograFinho dos sábados mantém a proposta de apresentar filmes cujas temáticas interessem a crianças e adultos juntos, o CinematograFinho Matinê, que será nas manhãs de domingo, apresentará filmes de temáticas propriamente infantis em versões dubladas em português!

A curadoria da Matinê é dos cineastas Camele Queiroz e Fabricio Ramos, em parceria com o cineasta e jornalista Fabricio Lima.

Enquanto o Finho das tardes de sábado valoriza o contato com línguas estrangeiras e inclui crianças que estão começando a ver filmes legendados, as Matinês aos domingos se voltam para crianças de todas as idades, exibindo filmes que encantaram gerações de crianças no mundo inteiro!

As legendas do Finho são especialmente adaptadas para facilitar a leitura das crianças, e o contato…

Ver o post original 192 mais palavras

Quarto Camarim entra em cartaz na Saladearte da UFBA no dia 3 de abril

Quarto Camarim

A primeira sessão, na quarta (3), às 19h, contará com a presença dos diretores e bate-papo

Capa

“Quarto Camarim” mostra o reencontro delicado entre uma sobrinha e sua tia, Luma, que é travesti, cabeleireira e performer, depois de 27 anos sem qualquer contato!

Dirigido por Camele Queiroz e Fabricio Ramos, o filme é protagonizado por Lima e pela própria diretora, abordando temas como dramas familiares, conflitos sobre aceitação e relações humanas, temas mediados pelo próprio fazer cinema.

“Quarto Camarim” foi finalizado em 2017 e realizado com o apoio do edital “Rumos – Itaú Cultural”. O longa participou de mostras e Festivais de cinema no Brasil e no exterior, em países como Canadá, Itália, República Dominicana e Venezuela, e foi selecionado também para a terceira edição da Sessão Abraccine, realizada pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema, que exibiu “Quarto Camarim” em cinemas culturais de 14 capitais brasileiras.

O filme entra em…

Ver o post original 33 mais palavras

Cinematógrafo de março (sáb, 30): “Contatos Imediatos do Terceiro Grau”, de Steven Spielberg

O clássico de Steven Spielberg ajudou a refundar a ficção científica no cinema e subverte a lógica do gênero, narrando uma história que congrega intimismo e deslumbramento no encontro entre nós e seres de uma alteridade radical. Contatos Imediatos passa no Cinematógrafo na Saladearte de março, sábado, dia 30.

O clássico de Steven Spielberg ajudou a refundar a ficção científica no cinema e subverte a lógica do gênero, narrando uma história que congrega intimismo e deslumbramento no encontro entre nós e seres de uma alteridade radical. Contatos Imediatos passa no Cinematógrafo na Saladearte de março, sábado, dia 30.

main

O cinema surge revelando registros documentários da realidade, mas logo passa à invenção que marcou o primeiro cinema de arte, o revolucionário Viagem à Lua, de George Meliés, que já nos primeiros anos do século XX abordava a relação do homem com o desconhecido e, inclusive, com seres alienígenas!

O século XX – uma era de extremos – foi marcado por um prodigioso salto de desenvolvimento tecnológico que, como causa e sintoma, produziu novas configurações sociais e culturais resultantes de uma crescente racionalidade técnica, mas também guerras catastróficas, destruição e as maiores ameaças em escalas globais. Na ficção científica, da…

Ver o post original 993 mais palavras

CinematograFinho de março apresenta “E.T – O Extraterrestre” (sábado, dia 16)

# Salvador:

Em março (sáb, 16), “E.T. – O Extraterrestre”, filme que emocionou toda uma geração, poderá ser visto – para muitos, pela primeira vez! – na telona do cinema!

Em seu tom de fábula e aventura, E.T. trata dos dramas da infância e da amizade com um ser adoravelmente feio e cativante, que precisa de ajuda para voltar para casa! Vale destacar a inesquecível trilha sonora que arrebata os espectadores e torna E.T., em seu conjunto, um dos filmes mais memoráveis de todos os tempos, que toca os corações de adultos e crianças, juntos!

A versão apresentada é legendada em português, com áudio original.

A sessão de E.T. – O Extraterestre no CinematograFinho acontece no dia 16/3 (sábado), às 15h, na Saladearte – Cinema do Museu. Os ingressos podem ser comprados antecipadamente em qualquer sala do Circuito Saladearte.

E.T. – O Extraterrestre, filme que emocionou toda uma geração, poderá ser visto – para muitos, pela primeira vez! – na telona do cinema!

Captura de Tela 2019-02-24 às 19.18.09

O Cinematógrafo de março (o finho e o fão) é dedicado a um dos maiores diretores de todos os tempos: Steven Spielberg!

E.T. – O Extraterrestre, de 1982, uma das obras-primas do diretor, conta uma história atemporal e emocionante. O filme marca a volta do diretor à ficção científica depois do elogiado Contatos Imediatos do Terceiro Grau, de 1977, filme que passa no Cinematografão, dia 30 de março. Se em Contatos seu foco foi no mundo dos adultos descobrindo vida fora da Terra, E.T. traz a visão das crianças sobre o mesmo fenômeno.

E.T. conta a história de um simpático extraterrestre perdido na Terra que é ajudado por Elliott (Henry Thomas) e seus irmãos Michael (Robert MacNaughton) e Gertie (Drew Barrymore). Além…

Ver o post original 442 mais palavras

CinematograFinho de fevereiro apresenta: “Castelo no Céu”, de Hayao Miyazaki

CinematograFinho de fevereiro:

Sessão única no dia 9/2 (sábado), às 15h, na Saladearte – Cinema do Museu (Corredor da Vitória – Salvador/Ba).

maxresdefault

Em mais uma parceria pelos Studio Ghibli, o filme é escrito e dirigido por Miyazaki e produzido por Isao Takahata.

O CinematograFinho valoriza tanto o realismo quanto a fantasia na nossa formação de visões de mundo. Por isso, depois de exibir, na sessão de janeiro, o realista “Onde fica a casa de meu amigo”, de Abbas Kiarostami, apresentamos a animação de Miyazaki, que conta a história do encontro de um menino com uma menina que possui um colar mágico, envolvendo uma espécie de cidade flutuante – o castelo no céu – que muitos julgam ser apenas uma lenda, mas que guarda um poder extraordinário.

Além de ser mais uma obra-prima do lendário criador dos Studio Ghibli, “Castelo no Céu” traz uma atmosfera mágica de fantasia, mas se fundamenta sempre em aspectos…

Ver o post original 209 mais palavras

CinematograFinho de janeiro apresenta: “Onde fica a casa de meu amigo?”, de Abbas Kiarostami

CinematograFinho de janeiro: 2019 começa com “Onde fica a casa de meu amigo?”, de Kiarostami

“Onde fica a casa de meu amigo?” é uma bela parábola sobre a inocência das crianças em contraste com a intransigência dos adultos. Um drama luminoso que valoriza o olhar da criança e para ser visto por crianças e adultos juntos.

g4173

Essa história de amizade e cumplicidade juvenil valeu ao diretor iraniano o Leopardo de Ouro e uma menção especial do júri no Festival de Cinema de Locarno. A história centra-se no desejo do pequeno Ahmed (Babek Ahmed Poor) de devolver um caderno perdido a Mohamed Reda Nematzadeh (Ahmed Ahmed Poor), um colega de escola. Essa missão tem uma importância singular: se Mohamed não tiver o caderno com os trabalhos de casa todos feitos no dia seguinte, vai ter um castigo muito severo na escola. Uma história simples mas sublime num filme modesto. Destaque para a interpretação das crianças, que conseguiram captar e transmitir a sua vulnerabilidade num mundo caótico.

Ver o post original 53 mais palavras