Ilhéus recebe Mostra de Cinema no Terreiro de Odé

Logo ilustração bambu

A mostra de filmes CINE ODÉ – Cinema no Terreiro fará do Terreiro de Odé, em Ilhéus, um espaço cultural voltado para o cinema e dedicado a filmes que estimulam a valorização e o conhecimento das culturas religiosas brasileiras de matrizes africanas e indígenas.

A mostra acontece de janeiro a junho de 2016, sempre no último final de semana de cada mês, com sessões aos sábados e aos domingos, abertas ao público gratuitamente e com a presença de convidados especiais para um bate-papo depois das projeções. Serão exibidos, durante as várias sessões da Mostra, 16 filmes entre curtas  e longas metragens, animações, documentários e ficções. As primeiras sessões acontecem nos dias 30 e 31 de janeiro, sábado e domingo respectivamente, sempre às 17 horas.

Captura de Tela 2016-01-14 às 19.34.09ACESSO: O evento disponibiliza uma van para facilitar o acesso do público ao local da mostra. O Terreiro de Odé, localizado no bairro Alto do Basílio, é um dos mais tradicionais terreiros de Ilhéus. Fundado em 1942 por Pedro Faria, conhecido como Pai Pedro, enfrentou graves dificuldades depois da trágica morte de seu fundador, que chocou a cidade. Hoje, o terreiro tenta se consolidar como espaço cultural, através do Instituto de Solidariedade Pedro Faria, voltado para a memória dos Orixás e da obra de Pai Pedro.

A Mostra Cine Odé tem curadoria de Camele Queiroz e Fabricio Ramos, organizadores da mostra e cineastas que, entre outros filmes, realizaram o curta As Cruzes e os Credos (2014), gravado, em sua maior parte, no próprio Terreiro de Odé. Para os diretores, fazer o filme, partindo da impactante morte de Pai Pedro, se tornou uma descoberta e um encontro inesperado com o sagrado e o mistério. As Cruzes e os Credos, que foi exibido no V Feciba – Festival de Cinema baiano 2015 e em festivais de Cinema na Colômbia e na Bolívia, integra a programação da Mostra Cine Odé, que apresenta também uma diversificada filmografia baiana e de outras partes do país.

Todas as informações e a programação completa podem ser acessadas no site da mostra: https://cineodeblog.wordpress.com/

Ou pelo telefone (73) 98110-5773, para falar diretamente com os organizadores ou produtores da Mostra Cine Odé.

O projeto Cine Odé – Cinema no Terreiro é uma realização do Bahiadoc – Arte Documento e teve apoio financeiro do Fundo de Cultura da Bahia, através do edital público de Agitação Cultural 2015 da Secretaria de Cultura do Estado da Bahia.

Anúncios

Circuito Popular de Cinema e Vídeo promove ‘O Sertão é o Mundo’

De 24 a 30 de abril, o Circuito Popular de Cinema e Vídeo promove a mostra especial “O Sertão é o Mundo”, uma prévia da II Celebração às Culturas dos Sertões, que acontece em maio, em Juazeiro. O programa contém quatro filmes, com abordagem voltada à cultura sertaneja. A edição especial traz, além circuito de cinema, diversas atividades como feiras de artesanato e comidas típicas, trios nordestinos, exposições, programação infantil, contação de histórias, apresentações de dança, ternos de reis, cantorias, sarau e oficinas. As atividades são gratuitas.

3567_287176884750702_1393089249_nCada um dos 14 Centros Culturais participantes organizou uma programação ao seu modo, destacando artistas e manifestações locais. Em comum, as projeções de cinema, que unem todos eles na mesma proposta de enriquecer o CPCV, ao mostrar que o circuito vai além das telas. A mostra especial “O Sertão é o Mundo” aglomera em torno de si o universo das culturas dos sertões, de modo a preparar o público para as discussões que virão em seguida, no encontro de Juazeiro, dias 7 e 8 de maio.

O programa está dividido em duas partes. A primeira apresenta “Antonio Conselheiro, o Taumaturgo dos Sertões”, longa metragem de José Walter Lima, e “Na Terra do Sol”, curta de Lula Oliveira. A segunda vem com “Cinema, Aspirinas e Urubus”, de Marcelo Gomes, e “Cega Seca”, de Sofia Federico, em curta metragem.

O CPCV especial é uma promoção da Diretoria de Espaços Culturais da Sudecult – Superintendência de Desenvolvimento Territorial da Cultura; da Diretoria do Audiovisual da Funceb; e da própria Fundação Cultural do Estado da Bahia.

Em Salvador, os espaços participantes são: Centro Cultural Plataforma, Cine Teatro Solar Boa Vista, no Engenho Velho de Brotas, o Centro Cultural de Alagados, o Espaço Xisto, nos Barris, e a Casa da Música de Itapuã, no Abaeté; além do Cine Teatro Lauro de Freitas, na Região Metropolitana.

Pelo interior, a mostra acontece nos Centros de Cultura das cidades de Mutuípe, Jequié, Itabuna, Alagoinhas, Vitória da Conquista, Valença, Porto Seguro e Santo Amaro. Os Centros Culturais de Guanambi, Feira de Santana e Juazeiro não participam da mostra. Os dois primeiros encontram-se em reformas, o último está dedicado à realização da Celebração às Culturas dos Sertões propriamente dita.

Mais informações no sítio da Secult-Ba.

SERVIÇO:

CPCV Especial – O Sertão é o Mundo

De 24 a 30 de abril

Espaços Culturais da Secult-BA em todo o estado

Vaqueiros da Bahia (vídeo)

Vaqueiros da Bahia é uma breve homenagem do Bahiadoc – arte documento aos verdadeiros protagonistas das culturas sertanejas. O vídeo – que é uma realização independente – é resultado da nossa participação na Celebração das Culturas dos Sertões, evento realizado em Feira de Santana pela Secretaria de Cultura da Bahia.

No dia 6 de maio de 2012, vaqueiros de diferentes regiões do sertão saíram montados a cavalo do Parque de Exposições e seguiram – pelas ruas da cidade – até o Centro de Cultura Amélio Amorim, onde participaram do ato oficial de reconhecimento do ofício de vaqueiro como Patrimônio Cultural Imaterial, e visitaram a exposição fotográfica “Imagens dos vaqueiros da Bahia”, composta por fotografias de Bauer Sá, Elias Mascarenhas e Josué Ribeiro, que integram o Projeto Vaqueiros: Vivências Mitologia, que tem coordenação do antropólogo Washington Queiroz.

vaqueiro visita a exposição fotográfica “Imagens dos vaqueiros da Bahia”, em Feira de Santana.

Para Queiroz, que há vinte e sete anos se dedica à pesquisa das culturas do sertão e foi um dos principais articuladores do evento, “os vaqueiros são os responsáveis pela conquista dos territórios do estado da Bahia e do Nordeste, é um verdadeiro autor da unidade nacional, através da criação extensiva de gado”. A importância do vaqueiro, porém, vai além de seu trabalho com o gado, “sendo expressivo o acervo de bens materiais e imateriais que eles criaram”, acrescenta.

projeto Canal Bahiadoc trará encontros com realizadores baianos

PROJETO CANAL BAHIADOC

O Canal Bahiadoc realizará uma série de seis webdocs para difusão via internet em nossas plataformas e redes, que serão produzidos trimestralmente, sempre com temáticas ligadas às artes visuais e cinematográficas. Os webdocs terão 20 minutos de duração cada, e trarão conversas com realizadores que atuam na Bahia, considerando o impacto histórico e sócio-cultural das produções realizadas.

O primeiro webdoc, que será publicado em 1 de junho, trará encontros com realizadores contemplados pelo Programa DocTv na Bahia. O programa DocTV, que foi interrompido pelo Ministério da Cultura, viabilizou produções de realizadores independentes em todo o Brasil. O programa contemplou projetos que abordaram variados temas de relevância cultural e social, que contaram com uma importante janela de exibição – a TV pública. Contudo, os documentários já exibidos não se encontram facilmente acessíveis nem são comumente exibidos em espaços alternativos à TV. A nossa ideia é também discutir os programas públicos de estímulo à produção a partir do aspecto da difusão e do acesso, que em tempos de internet ganha novas e crescentes possibilidades, quase sempre inexpolradas em relação a seus potenciais.

Bernard Attal conversou com o Bahiadoc sobre o doc “Os magníficos”, realizado no sul da Bahia. (foto: Bahiadoc)

Conversamos com o cineasta Bernard Attal, francês radicado na Bahia, que realizou através do DocTV o doc “Os magníficos”, que – inspirado no filme Soberba, de Orson Welles – retrata o efeito da trágica derrocada da lavoura cacaueira no Sul da Bahia na vida de pessoas da região. Batemos um papo com Elson Rosário, que realizou, também via DocTV, o doc “Mário Gusmão: o anjo negro da Bahia”, que homenageia e resgata a trajetória de Mário Gusmão, um dos mais importantes atores da Bahia, que atuou no teatro, no cinema e na televisão. O Bahiadoc está produzindo o primeiro webdoc e falará com outros realizadores baianos que participaram do programa DocTv.

Elson Rosário tem uma ampla trajetória no cinema, como produtor e cienasta. Elson nos falou sobre o doc “Mário Gusmão: o anjo negro da Bahia”. (foto: Bahiadoc)

O projeto Canal Bahiadoc é apoiado pelo Fundo de Cultura do Estado da Bahia, através de edital de demanda espontânea de 2011. A realização dos seis vídeos serão o catalisador editorial inicial do Bahiadoc, e todos serão publicados em espaço especial online – para livre acesso e difusão – que em breve será divulgado. Acompanhe o Bahiadoc também nas redes sociais: Twitter e Facebook, e participe desta proposta.

O BAHIADOC

O Bahiadoc – arte documento é um projeto contemplado pela Funarte, através de edital de Reflexão Crítica e Produção Cultural para Internet em 2010. O projeto visa a composição de um painel online da produção audiovisual contemporânea e independente de artes visuais na Bahia, reunindo diversos conteúdos multimídia e infiltrando múltiplos domínios artísticos como fotografia e videoarte, bem como outras linguagens artísticas que mantenham diálogo direto com o gênero de não-ficção, principal escopo do Bahiadoc.

O objetivo do Canal Bahiadoc é a promoção, através do sítio Bahiadoc, de novos espaços online de articulação, informação e interação acerca do cenário audiovisual contemporâneo de não-ficção, videoarte e artes visuais na Bahia. A ideia é contribuir para a interação em redes horizontais e auto-gestionadas, de forma dinâmica e criativa, aberta a ampla comunidade de agentes criativos audiovisuais que atuam na Bahia e em todo o país, buscando contribuir para ampliar a ressonância das produções independentes baianas.