Rogério Ferrari, guerrilheiro de imagens – Por Paulo Magalhães

“Sou sertanejo, sou nordestino, sou sem teto, sem terra, sou vaga-lume na cidade
grande, sou adolescente nas minas de carvão; sou África, Ásia e América Latina”. É desta
forma que Rogério Ferrari, considerado um dos mais interessantes fotógrafos engajados da atualidade, expressa a sua arte há quase duas décadas, documentando conflitos, culturas e as lutas concretas dos povos e dos movimentos sociais de várias partes do mundo.